Hunger

2007, 5', cor, 4x3, DV
video arte/performance

Sinopse

No século XXI a crítica da sociedade de consumo é dada como anacrónica pelas formas de arte dominantes. Num mundo onde o consumismo atingiu formas e níveis nunca vistos, a arte tende a tratá-lo como objecto esgotado.
Esta video-performance é uma alegoria do consumo e da própria crítica do consumo: uma vulva come vários objectos, uns simbólicos, outros ícones do consumo em si.
Sendo o sexo um dos productos mais consumidos actualmente, foi escolhido como o objecto principal desta performance. É, porém, descontextualizado através de uma distância que anula o seu sentido erótico.
Certas palavras são introduzidas como separadores e parecem ora sublinhar, ora ironizar os objectos.

Numa época em que a própria arte multimédia se submete aos efeitos do consumismo (frequentemente avalia-se a técnica e não o resultado) procurámos, através da simplicidade de três instrumentos já muito explorados mas sempre abertos – o corpo/performance, o vídeo e a palavra – o máximo efeito estético e significante.

 
Hunger

2007, 5’, color, 4x3, DV
video art/performance

Synopsis

Somehow, in the XXI century the critique of consumer society became demodé. In a world where consumerism attained elaborated shapes and higher levels than ever, art trends tend to overlook it. This video performance is an allegory of consumption and of the critique of consumption itself. A vulva eats various objects, some, symbolic, others, just icons of consumerism.
Being sex one of the most consumed products of today, it was chosen as the main object of this performance. However it is decontextualized through a distance that abolishes its erotic meaning.

<<<
>>>
 
 
<<<
>>>
 
 
<<<
>>>